Fintechs poderão emitir cartões de crédito independentemente



Fintechs de crédito poderão emitir cartões de crédito a partir de Maio de 2020.

O Conselho Monetário Nacional (CMN), liberou as fintechs de crédito de emitirem cartões de crédito sem a necessidade de formar parceria com bancos ou administradoras de cartões de crédito. A novidade passa a valer a partir do dia 04 de Maio de 2020.

A permissão para emitir cartões de crédito dará mais independência as fintechs e poderá reduzir o custo de produtos e serviços aos consumidores, pois a concessão do produto independerá da parceria com uma instituição financeira tradicional.

Carteira com Cartão

As fintechs de crédito poderão emitir e administrar cartões de crédito no Brasil sem a necessidade de constituir uma administradora de cartão de crédito e/ou formar parceria com um banco tradicional. A parceria para a emissão poderão ser feita diretamente com as bandeiras de cartões.

De acordo com o Banco Central, o modelo de negócio das fintechs de crédito já cumpre requisitos legais e técnicos para a emissão de cartões, pois elas hoje realizam operações de crédito e emitem moedas eletrônicas (saldo em contas e cartões pré-pagos).

MAIS INDEPENDÊNCIA AS FINTECHS

O anúncio da CMN dará mais independência as fintechs que, até então, estavam obrigas a procurar um banco ou administradora de cartão de crédito para oferecer esse tipo de produto ao consumidor.

Embora já existam fintechs que emitam cartões de forma independente, para conseguir a autorização a startup financeira precisava criar uma instituição de pagamento específica, fato que acabava desestimulando a entrada delas no setor de cartões de crédito.

A iniciativa da CMN está sincronia com a agência #BC do Banco Central que visa aumentar a concorrência no mercado para, consequentemente, reduzir o custo de produtos e serviços financeiros aos consumidores. Além disso, a permissão deve aumentar a oferta de crédito em um momento em que o mercado mais precisa de injeção de crédito para se recompor.

As Sociedades de Crédito Direto (SCD) e Sociedades de Empréstimo entre Pessoas (SEP), conhecidas como fintechs de crédito, constituem importante canal de concessão de crédito pois prestam seus serviços por meio de plataformas eletrônicas e, por isso, possuem alta capilaridade, alcançando até mesmo clientess com menor acesso a serviços financeiros”, afirmou o BC por meio de nota à imprensa ao ser questionado para comentar a novidade.

Outra novidade é que as Sociedades de Crédito Direto (SCD) poderão a partir de Maio de 2020 financiar operações usando créditos do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social).





Secured By miniOrange