Por crise, gastos de brasileiros com cartões caem R$ 20 bi em Março



Crescimento de vendas com cartões caí de 2 dígitos para, apenas, 1 dígito em Março.

Os gastos dos brasileiros nos cartões de crédito caíram significativamente no primeiro trimestre de 2020. De acordo com a associação que representa as empresas de cartões, em Março os consumidores movimentaram R$ 148,6 bilhões; o que representa um crescimento de 3,4% em relação ao ano anterior.

Cartão, dinheiro e pagamento

Medo faz com que brasileiros contenham gastos nos cartões. A indústria de pagamento deixou de ter crescimento de dois dígitos em Março de 2020.

O crescimento estava constante em dois dígitos há anos.

O crescimento de 3,4%, no entanto, é o menor já registrado para o mês de Março desde 2007.

Antes da crise, o gasto dos brasileiros com cartões estavam aumentando na casa de dois dígitos no comparativo referente ao valor gasto no mesmo mês do ano anterior.

A mudança abrupta do crescimento das vendas com cartões de crédito pode ser observada em Fevereiro de 2020, quando o crescimento havia sido de 21%, R$ 158 bilhões. Em Março de 2020, período que coincidiu com a decretação da quarentena em diversos estados, esse número caiu para 3,4%.

Em menor intensidade, a expectativa das administradoras de cartões de crédito é que essa queda no crescimento continue a ser sentida nos próximos meses; mesmo após o fim da quarentena em muitos estados, isso porque o cenário econômico é desolador com a expectativa no aumento de empresas quebrando e, consequentemente, o número de desempregados.

MUDANÇAS NA INDÚSTRIA DE PAGAMENTOS

Outro fator que pode impactar na queda no crescimento das vendas com cartões pode estar relacionado a mudança da indústria de pagamentos no Brasil. Os pagamentos por celular – QR Code, por exemplo – estão aumentando no Brasil e, em muitos, eles eliminam complemente a necessidade de bandeira e administradora de cartão de crédito, por exemplo.

O lançamento das transferências instantâneas do Banco Central – Pix – deve acelerar ainda mais esse processo; permitindo que o consumidor troque o cartão físico por soluções alternativas que utilizam o celular como principal meio de pagamento.

Por meio do Pix, o brasileiro poderá pagar por QR Code instantaneamente; tal solução vai permitir pagamentos 24/7 mesmo em finais de semana e feriados. Ademais, o sistema vai permitir pagamentos instantâneos mesmo entre diferentes instituições financeiras, o que abre espaço para que a solução do Bacen ganhe espaço na indústria de pagamentos.

Por ter taxas reduzidas se comparado ao cartão, o sistema deve ganhar maior adoção no varejo e, consequentemente, tem potencial para se popularizar entre os consumidores.





Secured By miniOrange