Ter empresa no nome pode facilitar obtenção de crédito no mercado



Ter CNPJ pode ajudar ou atrapalhar no crédito como Pessoa Física.

Um dos fatores que podem influenciar na tomada de decisão de crédito das empresas é a existência de empresa no nome da pessoa que solicita crédito. Neste artigo explicamos o porquê o empreendedor que possui um CNPJ pode ter mais facilidade na hora de obter, por exemplo, um cartão de crédito como pessoa física.

homem assinando contrato

Ter um negócio próprio, independente do ramo, pode ser melhor para conseguir crédito do que ser autônomo ou trabalhador de carteira assinada.

Ser sócio de uma empresa sinaliza para o banco que o solicitante do crédito é um empreendedor e, portanto, tem menos risco de perder o poder aquisitivo por fatores externos como, por exemplo, desemprego, visto que a pessoa é dona do próprio negócio.

Ademais, muita gente tem aberto MEI apenas para contribuir com a previdência social, visto que esse tipo de CNPJ pode ser tirado na hora pela internet.

Dependendo do tipo de constituição da sua empresa e da data de abertura, o impacto poderá ser ainda maior na concessão de crédito. Quem tem um MEI (Microempreendedor Individual) tem um impacto positivo bem menor do que uma pessoa que possui uma empresa limitada, por exemplo, visto que o faturamento do microempreendedor individual é bastante limitado devido à própria natureza do negócio.

Principais fatores em que o CNPJ impacta (ajuda ou atrapalha) no crédito da Pessoa Física:

  • Tipo de empresa (MEI, EI, EIRELI, LTDA, S/A, etc);
  • Data de abertura da empresa (quanto tempo ela tem de mercado?);
  • Dívidas no mercado;
  • Sócio tem ou teve participação em empresa falida?
  • Capital Social da empresa;
  • Faturamento médio anual da empresa;
  • Quantidade de funcionários;
  • Se possui alguma filial;
  • Regularidade no pagamento dos impostos;

EMPRESA PRECISA ESTAR REGULAR PARA NÃO TER IMPACTO NEGATIVO NO CPF

Embora uma empresa regular possa ajudar a conseguir crédito, o inverso também ocorre, ou seja, caso a empresa esteja com dívidas na praça poderá impactar negativamente no score de crédito de todos os sócios.

Além disso, se a pessoa que solicita crédito já tem ou já teve participação em uma empresa que foi a falência, isso poderá criar uma barreira de crédito em muitas instituições, pois o consumidor já tem um histórico de insolvência financeira no mundo dos negócios.

Lembro que quando trabalhava em uma instituição financeira a primeira coisa que analisávamos era se a pessoa física possui participação em alguma empresa, o próprio sistema da Serasa já revelava os CNPJs dos consumidores, bem como o percentual de participação em cada uma das empresas.

Mas, atenção, não vale a pena abrir uma empresa só para facilitar o crédito como pessoa física! Ter um CNPJ no Brasil é burocrático e demanda o pagamento de tributos, bem como obriga o empreendedor a fazer declarações anuais e mensais. Um “negócio de fechada” não terá impacto positivo, muito pelo contrário pode levar o sua pontuação de crédito ladeira abaixo.





Secured By miniOrange